Carta para o Lar

5Um dia alguém disse-me que Lar é o lugar onde temos o nosso coração. Encontro-me  em casa agora, mesmo que esteja tão longe dos que mais me querem bem.

Um dia alguém disse-me que Lar é onde somos mais amados. Encontro-me em casa então, mesmo que longe da minha língua, da minha comida da minha herança.

Um dia alguém disse-me que Lar é o lugar onde podemos ser nós mesmos. Encontro-me em casa hoje, mesmo que a minha mente por vezes me peça para partir.

Levo a minha casa comigo, carrego no meu coração tudo aquilo que não cabe na mochila, tudo o que não é acessório, tudo aquilo que realmente importa. Parto e sigo sem rumo, mas estranhamente volto sempre ao mesmo local.

Passei por muitas casas, mas apenas existe que chamar de Lar.

Lar é onde temos o coração, e o meu está em ti.


Anúncios

Porque nem só de cartas vive o homem…II

1Entrou no autocarro com um semblante pesado, nada que eu não estivesse habituado a ver, mas neste caso a face era demasiado jovem e demasiado bonita para estar assim.

– Para onde vai? Perguntei eu?

– Para qualquer lugar, respondeu-me num tom baixinho. – Na verdade não tenho destino, quero apenas entrar e sentar-me um pouco.

Por momentos pensei que pudesse ser uma qualquer maluca, dessas que se ouve falar no noticiário das 20h, mas o meu instinto dizia-me que ali não havia perigo, havia sim muita tristeza.

– O autocarro só parte daqui a 20 minutos, disse eu, mas se quiser pode sentar-se um pouco, e logo decide se quer ir para algum lado.

– Obrigado, disse ela sem grande entusiasmo.

Espero não me estar a meter em nenhuma alhada, pensei eu baixinho enquanto a observava pelo retrovisor. Sentou-se a meio do autocarro e começou a chorar. Oh que caraças… era mesmo o que me faltava, uma maluca com um desgosto qualquer e no meio de tanto autocarro entra logo no meu. De repente veio-me à cabeça a minha Matilde, esta rapariga tem idade para ser minha filha, também não custa nada perguntar se ela precisa de ajuda ou assim. Levanto-me e lentamente começo  a caminhar na sua direcção, na minha cabeça ecoa um pensamento, “tá mas é quieto Antunes deixa a maluca da mão!”, ignorei este pensamento e sentei-me no banco à frente do dela.

– Sabe que tenho uma filha que deve ter a sua idade. Não gostava nada que ela entrasse assim num autocarro sozinha a esta hora, e muito menos que estivesse a chorar. Não tenho a ver com isso, mas confie em mim menina, mesmo sendo apenas um simples condutor de autocarro, já vivi muito nesta vida, todos os dias vejo pessoas tristes, apaixonadas, preocupadas, sem dinheiro, apanho de tudo. Não há nada que o tempo não cure, não há nada que não se resolva com uma boa noite de sono.

– Obrigado.

– Ora essa menina, não fiz nada!

– Preocupou-se, e isso neste momento é muito importante para mim.

– Mas passa-se algo de grave consigo? Tem algum problema de saúde?

– Não necessariamente…é um problema de coração partido…

– Oh menina então é por isso que está a chorar?! Então está tudo bem…olhe eu casei 3 vezes, apaixonei-me umas 9 e tive apenas 1 grande amor, e estou aqui rijo. Sabe o que lhe digo, não há dor maior nem melhor, nem mais merecida que a dor do amor. É a única dor que nunca me vou importar de ter na vida, e olhe que já vivi qualquer coisinha. Se alguém faz chorar uma carinha tão bonita, das duas uma; ou é parvo ou não merece que a menina chore por ele! Vá chore lá tudo que isso amanhã já está melhor.

– Boa noite Antunes, está frio ou quê?!

– Olhó Fernandes, vieste cedo hoje rapaz!

– Tive de passar na farmácia e saí mais cedo.

– Olha estava aqui a falar com esta menina, que tem uma dor de coração.

– Eh lá, então e não vai ao médico?

– É outro tipo de dor ó caramelo!

– Ahhh, isso passa moça. Olhe estou casado faz para o mês que vem 35 anos! Amo a minha Eduarda como ninguém, mas comi o pão que o diabo amassou por aquela mulher! Foram 3 anos, 3 anos até a convencer a sair comigo. Sofri muito mas no fim valeu a pena. 3 filhos 4 netos e uma companheira como não há igual, acredite que sofreria tudo de novo! Mas a menina ainda é tão nova, vai ver que rapidamente isso passa e vai encontrar alguém que a mereça.

– Sim, talvez tenham razão…

– Não é talvez menina é como lhe digo! Sabia que o Antunes já foi casado 4 ou 5 vezes?

– Foram 3 vezes pá, quais 4 ou 5.

– Pronto foram 3 vezes, mas a verdade é que ainda está vivo, ninguém morre de amor. E você não vai ser a primeira! Toca a arribar que esta vida é curta, e quando der por si já está com 60 anos e com dor nas costas.

A moça sorriu, quem diria que a entrada neste autocarro a deixaria um pouco mais animada. Quando entrou procurava ir para algum lugar sem destino, quando sair o destino continuará incerto, mas pelo menos leva um sorriso e a alma mais leve.

-Ó Antunes e o Sporting pá..é este ano?

– Acho que não é desta ainda…..

– E a menina o que acha do Sporting? Perguntou Fernandes piscando o olho.

– Acho que o treinador não é mau, mas a direcção não percebe muito daquilo, respondeu-lhe a rapariga.

– Olha querem ver que temos aqui uma entendida em bola, tás a ver Antunes é isto que eu te digo sempre, aquele presidente estava bem era calado!

– O Sporting sim menina é caso para choro, tudo o resto é levar com calma que se resolve!

……….

Carta para a constipação

14Querida constipação,

Obrigado por teres escolhido a minha pessoa para viver. Devo dizer que não és das piores constipações que já morou em mim. Gostaria de te agradecer pelo facto de não ter tosse com expectoração, continua a ser desagradável, mas é um pouco mais suportável.

Espero que os comprimidos que ando a tomar te satisfaçam, se não gostares posso sempre trocar por outros. Embora não saibas, tornaste o meu sentido de olfacto numa coisa inexistente, e ainda por cima tudo me sabe a ranho! O tabaco sabe a ranho, a água sabe a ranho, até a comida sabe a ranho, é uma maravilha!

Não sei se tens intenção de ficar por aqui muito tempo, mas não muito dava jeito que tivesses uma estadia longa, é que no fim de semana tenho um jantar, e já tenho companhia, não vou lá aparecer contigo também. Então vá…tudo de bom contigo.

Um abraço

Porque nem só de cartas vive o homem…

5

Peguei na mão dela e disse-lhe:
– Vem comigo!
– Onde vamos papá?
– Já vais ver, é uma surpresa…
Entramos na loja e rapidamente os olhos de Maria se iluminam. Foi ali, foi naquele preciso momento, que descobri uma nova paixão da minha filha. Não havia secção infantil, nem cds de cantoras da moda, não havia cantoras das novelas, nem animais cantantes. Esses, ela têm todos! Estes são novos, não se escolhem apenas por serem da moda. É necessário perder tempo, temos de verificar o estado e pedir para tocar, sentar um pouco e apreciar. É isso que quero dar à minha filha, um pouco de tempo para apreciar as maravilhas da simplicidade.
Passaram-se 4 horas, e Maria continua maravilhada percorrendo todos os discos que conseguia chegar. A moça da loja (bem bonita por sinal) deixou-a tocar todos os discos que ela ela queria. O gesto de colocar o vinil com todo o cuidado, o pousar suave da agulha sobre o disco, era feito de uma forma tão cuidadosa que dá sensação de que a Maria fazia aquilo desde sempre. Do alto dos seus 7 anos, a minha filha enchia-me de orgulho!

………………………..

Nessa tarde, depois de horas à volta dos discos parámos na pastelaria para lanchar. A Maria comeu uma bola de berlim e pousou cuidadosamente o saco onde levava um James Brown, uma Patti Smith e um Best Of, num estado super impecável, de Vaya Con Dios. Já eu estava indeciso entre uma torrada ou um pastel de nata. Há dias em que nos sentimos realizados, hoje era um desses dias. Além de levar uma filha mais feliz, ainda levei um número de telefone. O papel dizia Joana, o número começava por 91qualquer coisa mas eu só me lembrava dos olhos verdes.

………………………..

– Espero que tragas a Maria novamente aqui à loja, acho que tens aí uma pequena amante de vinis, é tua sobrinha?
– Claro que a voltarei a trazer! Mas não pode ser sempre como hoje, senão vou à falência rápido! Disse eu a sorrir. E não é minha sobrinha…é minha filha!
– Desculpa, como reparei que não tinhas aliança… espero que ela não diga nada à mãe.
– Não te preocupes, pela minha parte pode dizer. Não somos casados, nem estamos juntos, mas somos muito bons amigos, a Maria é fruto de uma breve paixão que se transformou numa grande amizade.
– Desculpa, não queria ser indiscreta…
– Pois já eu vou ser! Tu tens namorado? marido, amante, amizade colorida?
Joana sorriu e respondeu
– Não nada disso, mas tenho um gato! Mas porquê..estás a candidatar-te?
– Não sei, dá-me o teu número e logo se vê.
– Ok, tens aí o telemóvel?
– Não uso…
– Não usas telemóvel?
– Não! Que dizer não uso fora do horário de trabalho! Por alguma razão trouxe a minha filha a uma loja de vinis! Algumas coisas merecem ser feitas com calma, merecem ser apreciadas.
– Ok, esperarei um telefonema…
– Ou uma visita!
– Sim, ou uma visita!
– Talvez não tenhas de esperar muito, Mariazinha diz adeus à nossa amiga Joana …
– Adeus Joana…
– Adeus Maria não te esqueças de me vir visitar, e trás o teu pai para poderes levar mais uns discos. Diz Joana piscando o olho na minha direção.
………………………..

– Pai, sabias que agora adoro discos todos?! Podemos ouvir outra vez quando chegarmos a casa?
– Claro que sim filha, vamos ouvir todos e dançar até cair para o lado!
– Paiii…a Joana é tua namorada?
– Ainda não filha, porquê tu gostavas?
– Sim, ela é fixe…e tem muitos brincos!
– Se tu aprovas meu amor…!

Carta que espera resposta

5Decidiste partir. Poderias ser apenas mais um dos milhares de  jovens, que sabem que  o seu futuro passará por outro país que não este, por outras pessoas que não estas, por outras línguas que não esta.

Partiste, e eu não tive sequer a coragem de te dizer o que sinto por ti. Não sei se estás a ler esta carta no avião, espero que sim, espero que tenhas acedido ao meu pedido de apenas a abrires em pleno voo. Um carinho especial por ti, isto é o que me dizes sempre… Um carinho especial, era esta a expressão que usavas quando te referias a nós os dois.

Eu sei que tu sabes, aliás ambos sabemos o que sinto por ti, e não se enquadra, apenas, no “Carinho especial”. O que nenhum de nós sabe, é o que tu realmente sentes por mim.  Não sei como te explicar, mas de facto para mim nunca foi fácil decifrar-te! Gostaria de usar uma frase menos pirosa, mas a verdade é que és como a Lua, parte de ti esteve sempre escondida, inacessível para mim.

Partiste, mas deixas aqui muitas coisas, amigos, família, e uma enorme dúvida na minha cabeça, e uma pergunta por responder no meu coração.

Esta carta espera uma resposta… eu espero uma resposta

Carta para a vizinha do 3º direito

Querida Vizinha do 3º direito,1 no outro dia esperei por ti no hall de entrada do prédio. Apercebi-me que estavas a chegar e convenientemente fiquei a ater a sapatilha até tu chegares. Não sei se sabes, mas fui eu que te deixei o bilhete no teu carro na semana passada. Não quero ser mal interpretado, mas custa-me que estejas sempre com um ar triste, tu que és tão bonita.

No outro dia vi-te no elevador, disse-te bom dia e tu baixaste os olhos. Queria perguntar-te porque estás sempre triste? Que dor é essa que carregas em ti que não te permite sorrir para mim. Tenho receio de estar a fazer uma confusão, e na verdade tu apenas não me queiras dar confiança.

Ontem ajudei-te com as compras e sei que só aceitaste porque estava a chover, de outra forma não acredito que aceitasses. Gostava de conversar contigo e perguntar-te coisas, perder-me a ouvir-te falar, gostava de saber o que fazes, de onde és, para onde vais. Gostava de te levar a comer um gelado, ou simplesmente poder sentar-me contigo em frente ao rio. Queria saber mais sobre ti, fascinas-me, intrigas-me deixas-me perdido. Onde trabalhas, quantos irmãos tens? És alérgica a alguma coisa?

Enquanto escrevo esta carta reparo pela janela que estás a chegar, já conheço o barulho do teu carro. Deixei-te um cd debaixo da porta, espero que gostes.

Um dia talvez te entregue esta carta, mas antes vou ter de ver um sorriso teu… e saber o teu nome

Espero que gostes

Birdy – Skinny Love

The Cinematic Orchestra – To Build a Home

Sigur Ros – Olsen Olsen

Norton – CoastLine

José Gonzalez – Heartbeats

 

Carta para um jovem Eu

2Meu caro jovem Eu,

Se soubesses as saudades que tenho de ti. Não sei há quanto tempo deixei de te ver, mas foi já há algum tempo. Tenho saudades da maneira como tudo parecia fácil para ti, saudades da maneira como gostavas de passear com roupa nova, da maneira como gostavas de galantear as moças que passavam por ti.

Não gostava da maneira como achavas que fumar te fazia mais homem, mas esse foi um hábito que felizmente perdeste. Tenho saudades da maneira como conseguias ver de uma forma nítida, e como corrias e saltavas com energia.

Esta noite sonhei contigo, sonhei que me levavas ao Zé Crespo para beber um copo e falar sobre o nosso Benfica. Sonhei que tinhas o teu cabelo todo novamente (ah esse cabelo!), e que conseguias escutar um alfinete a cair na sala ao lado. Mas foi apenas um sonho, na verdade não desgosto da maneira como envelheceste, gosto da maneira como te tornaste mais calmo com a idade. É certo que a idade te trouxe mais do que sapiência, também te deu dores imensas em tudo o que é músculo, deu-te uma série de comprimidos para tomar, tantos que já os sabes de cor.

Não te incomodo mais, queria só dizer-te que também ganhaste uma bela família, netos, filhos e a caminho um pequeno bisneto. Foste feliz durante décadas ao lado de uma grande mulher, de uma grande mãe. Mas eras jovem, e nem sempre estiveste à altura da pessoa que esteve ao teu lado. Vais sofrer muito quando ela partir …todos os dias sofrerás, mas o tempo vai ajudar-te a recuperar, nunca na totalidade mas aos poucos a dor vai tornar-se menos intensa.

Quero dizer-te que a tua vida será muito feliz, com altos e baixos é certo, mas no fim, quando estiveres perante o tribunal da tua consciência, serás considerado inocente.

Aproveita a tua vida, ama um pouco mais os que te rodeiam, não te esqueças de lhes dizer o quão importantes são para ti.

É apenas um conselho deste velho Tu.

Sê feliz

Carta de corte

1Hoje li um trecho que dizia para cortar com o passado, e tudo fez sentido. O meu presente passa a ser o meu passado, e o passado fica para trás das costas. Tu hoje foste o meu presente, tu hoje és o meu passado… o meu futuro amanhã decido o que será.

Não sei de quem é a culpa, talvez seja tua, talvez seja minha, talvez não seja de nenhum de nós.

Hoje é o dia em que corto contigo… Sim é definitivo, não tenhas ilusões.

O corte sou eu que o faço, mas a tesoura foste tu que ma entregaste!

The End – O Fim

Carta para um pai ausente

1Pai, uma palavra sempre pareceu estranha ao sair da minha boca. Não posso dizer que tenhas estado muito presente. Na verdade a ausência fez de nós dois estranhos, mas dois estranhos que sempre gostaram um do outro. Tenho pena que não me tenhas falado mais vezes sobre o que sentias, mas tenho mais pena ainda de nunca to ter perguntado.

Arrependo-me dos anos que passei zangado contigo, dos anos em que quase não nos vimos a não ser nos dias de protocolo. Na verdade nunca te esqueceste do meu aniversário, todos os anos me ligavas nem que fosse para falar durante 2 minutos. Muitas vezes quase não recebias palavras de volta, eram pequenos monólogos que ambos nos resignávamos a aceitar. Tenho pena de não me ter apercebido que estavas a envelhecer, que a tua saúde já não era a melhor, que as tuas mágoas se atenuaram um pouco e que talvez precisasses de mim.

Um dia, sem aviso prévio foste embora. Ficou um vazio mim. De repente já não te podia pedir perdão, já não te podia perguntar o que tinha sido a tua vida, de onde tinhas vindo quais foram os teus sonhos, as tuas paixões as tuas raivas. Sei que tinhas orgulho em mim, nunca mo disseste, mas eu sei que tinhas. Fui obrigado a remexer na tua vida, tive de a catalogar, de organizar, colocá-la em caixas . Aos poucos fui-me apercebendo de quem eras, li sem despudor as tuas cartas guardadas, as fotografias de que tinhas na tua carteira, uma minha uma do avô e outra do Jorge. Via as tuas 560 fotografias a preto e branco, recordações de um António que nunca conheci, esse António já tinha partido à muito quando eu nasci. Impressionou-me o facto de nas fotografias mais recentes quase não sorrires. O teu sorriso desapareceu com os anos. Fruto de uma guerra agressiva, fruto das perdas de duas mulheres, frutos de outras tantas perdas intensas que foste tendo ao longo da tua vida.

Hoje fui visitar-te, levei-te flores frescas, na verdade foi a Andreia que as escolheu. Sentei-me um pouco e conversei contigo. Mais uma vez falei-te da pequena partida que te preguei, dei-te um funeral cristão, a ti um ateu convicto. Sei que não levaste a mal, na verdade até achaste graça, imagino que tenhas ficado inicialmente danado, mas foi a minha escolha. Contei-te como limpei a Hermes Baby, e de como esta semana me ligaram para falar sobre ti. Ia-me esquecendo, este ano não paguei as cotas dos antigos combatentes, já não aceitam eu não posso ser sócio, e tu já não estás por cá.

Ainda não foi hoje que tive a coragem de te dizer, que sinto a tua falta! Na verdade senti a tua falta toda a vida. Arrependo todos os dias de nunca te ter perdoado a ausência destes anos todos. Odeio quando a vida se torna um cliché, mas desta vez foi verdade, só senti verdadeiramente a falta depois da tua partida. Talvez um dia te diga tudo o que ficou por dizer, talvez um dia a nossa conversa comece por aí.

Fiquei só quando partiste, rodeado de pessoas que me amam é certo, mas só. Os meus filhos nunca terão um avô, e eu não voltarei a ter um pai.

Espero que esta carta te chegue intacta. Sei que não terei uma resposta, mas isso não importa agora.

Com saudades sinceras,

O teu filho