Porque nem só de cartas vive o Homem…X – O Segredo de Ferreirinha

ced_25071b24462bb68_c25e0977-post” Os pássaros do Sul continuam a ser um bando de asas soltas?”

Rita trabalhava há 4 dias nesta ala quando encontrou na bata este estranho bilhete. Comentou com uma colega que soltou um longo sorriso:
– É um novo recorde. Comigo foram duas semanas.
– Mas o que é isto, perguntou Rita sem perceber.
– É uma mensagem do nosso espião, quer saber se tu fazes parte da resistência…
……………………………………………………………………………………………………… António Ferreira estava institucionalizado há 35 dos seus 56 anos. Sem família para o amparar foi acolhido nesta instituição que se tornou a sua casa. Quando aqui chegou era um maluquinho, mas actualmente o termo correto é ‘sofre Patologia’, e a de ‘Ferreirinha’ (como é conhecido pelos funcionários) combina uma psicose de cenários de guerra e espiões, com uma fixação grave pelas músicas da Mafalda Veiga. Na verdade Ferreirinha é um paz de alma, ajuda as funcionárias sempre que é preciso e é muito amável, educado e muito atento…embora tudo faça parte do seu disfarce enquanto infiltrado.
………………………………………………………………………………………………………
– Então e ele não é perigoso?
– Quem o Ferreirinha?
– Sim, afinal estamos no meio de tantos tontinhos.
– Rita, espero que não te voltes a referir a estes utentes dessa forma! Não estamos no meio de tontinhos, estamos no meio de pessoas que vêm o mundo de uma forma diferente da nossa, não é assim tão linear. Ali a Maria resolve uma equação matemática como quem pisca os olhos, o Ricardo sabe dizer-te a morada completa se lhe disseres um número de telefone fixo. Não são maluquinhos, loucos ou xalupas, são diferentes de ti, mas eu também sou diferente de ti e não me consideram maluca pois não?
– Sim tens razão, por vezes é difícil recordar isso quando estamos aqui dentro.
– Vou contar-te um segredo, eu por vezes eu escrevo uns bilhetinhos com mensagens para o Ferreirinha.
– A sério?! Não achas que isso pode reforçar as suas patologias?
– Reforçar? Ele está aqui institucionalizado há anos, e é dos únicos que ainda é sociável, com quem podes ter uma conversa, que te ajuda se lhe pedires. Que sabe o teu nome, que se lembra do teu aniversário. Às vezes acho que o Ferreirinha tem mais saúde mental do muitos de nós!
………………………………………………………………………………………………………
Rita pensou no que Ana lhe dissera uns dias antes e depois de se aconselhar com ela, decidiu escrever-lhe um bilhete de resposta:

‘Se esta mensagem encriptada chegar ao destino certo informo que:

Geme o restolho, preso de saudade
esquecido, enlouquecido, dominado
escondido entre as sombras do montado
sem forças e sem cor e sem vontade’

PS: O seu trabalho de infiltrado está a ser muito útil, estamos a considerá-lo para uma promoção, mas não comente nem se manifeste com ninguém – ainda é SEGREDO!

Carta da Amizade

2A amizade é uma coisa boa que cresce dentro do nosso peito. Ela alimenta-se de sorrisos, abraços e de pequenos gestos. Muitas vezes a amizade pode ser confusa,  é preciso olhar bem para ela e não a tomar por outra coisa, como amor ou paixão por exemplo. Não é estática, não é como um conjunto de tijolos que se vai empilhando para se tornar cada vez maior.A amizade adensa-se com a proximidade, mas cresce com a saudade, mas a saudade e a distância podem tornar a amizade mais pequena, acabando por desaparecer, mas nunca na totalidade, restará sempre uma memória.

Podemos ter amigos durante umas horas ou a vida toda, não se pode medir a força de uma amizade pelo tempo de um relógio ou um calendário, minutos, horas, dias ou anos nem sempre significam muito numa amizade, no entanto existe uma grande probabilidade de ser mais forte com o passar dos anos (mas como referi atrás, não sendo alimentada pode acabar por definhar).

Se tivesse de explicar a alguém o que é amizade, a melhor analogia seria sempre a de uma flor, começa numa pequena semente, cresce tornando-se viçosa, mesmo que venha o inverno e a flor fique seca e murcha. A semente, essa, está lá e basta regá-la com mais uns sorrisos, uns abraços para que acabe novamente por florescer. Por vezes as amizades (re)florescem com umas simples palavras, por vezes é um ‘Tinha saudades tuas’ outras vezes é um ‘Desculpa’.

A amizade dá-nos coisas maravilhosas, e a principal são os amigos! Eles são de várias cores e géneros. Alguns amigos são altos, outros são baixos, uns são louros de cabelo comprido e outros usam barba. alguns até surgem em forma de animal. Na verdade isto dos amigos às vezes é difícil de explicar, porque alguns são chatos e muito rabugentos, alguns são totalmente diferente de nós, mas o engraçado é que todos acabam por ter um espaço nesta bolha de felicidade que é a amizade.

Tentar perceber estas coisas da amizade só complica mais as coisas, tudo fica muito mais simples se não pensarmos muito nestes pormenores todos, a amizade é sentida e não pensada. A amizade não dá para contar pelos dedos, por vezes todos os dedos das mãos e dos pés não chegam para contar um único amigo. O truque não é saber o Quanto, mas sim o Quem.

Sobre a amizade haverá muito mais para dizer, mas todas as palavras não serão suficientes para descreve-la, isso apenas pode se dizer com um abraço.